Casos positivos oriundos da Venezuela estão monitorizados

Presidente do Governo indicou que o aumento de casos detetados tem ocorrido dentro do sistema, ou seja, não se trata de focos de infeção, mas o sistema a funcionar dentro de um cenário expectável, associado ao crescimento de passageiros desembarcados em agosto.

O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, voltou hoje, quarta-feira, 5 de agosto, a pronunciar-se acerca do expectável aumento do número de casos positivos detetados, aquando do desembarque de passageiros nos aeroportos da Madeira e Porto Santo, salientando que esse surgimento ocorre dentro do sistema de controlo implementado pela região autónoma, o que permite que a Autoridade Regional de Saúde proceda à sua monitorização e vigilância.

Por outro lado, esse aumento expectável de casos – associado ao já referido crescimento do número de desembarcados em agosto e no próximo mês de setembro face aos 31 mil passageiros de julho – inclui pessoas com origem na Venezuela, as quais, para a Autoridade de Saúde da Região, estão nas exatas circunstâncias dos demais passageiros desembarcados e cujo o teste realizado na chegada à Região deu positivo para a COVID-19.

“Nós não conhecemos a real situação da Venezuela, do ponto de vista pandémico”, referiu Miguel Albuquerque.

“Mas nós temos todo o histórico dessas pessoas que desembarcaram provenientes da Venezuela. E, por conseguinte, essas pessoas estão monitorizadas e a sua situação controlada”, prosseguiu.

Fonte: madeira.gov.pt

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email