Convívios limitados ao agregado familiar e vacinas chegam em janeiro

Miguel Albuquerque apelou para que os convívios de Natal sejam limitados às pessoas do mesmo agregado familiar. O líder madeirense reiterou o pedido para que se evitem viagens desnecessárias e para que se aumentem os cuidados com os mais idosos e com os mais vulneráveis.

Miguel Albuquerque recomendou hoje a todas as famílias madeirenses e porto-santenses para que as reuniões/convívios familiares sejam limitadas ao agregado familiar, ou seja às pessoas que vivem na mesma casa.
O presidente do Governo Regional falava em videoconferência a partir da Quinta Vigia, onde reiterou ser imprescindível o cumprimento das medidas básicas de proteção, em todos os contextos.
O governante apelou ainda para que se continue a evitar as viagens desnecessárias e para que se aumente os cuidados no contacto com os mais vulneráveis, idosos e pessoas que sofrem de outras doenças.
Miguel Albuquerque apelou ainda ao cumprimento do isolamento profilático, enquanto se aguarda o segundo teste.
Neste sentido, «não devem existir, nesta época, os almoços e jantares de empresas e de grupos alargado de amigos». E voltou a lembrar que «não são permitidos eventos com mais de 50 pessoas independentemente da área disponível».
O presidente do Governo Regional recomendou ainda que «aqueles que apresentem sintomas contactem de imediato a linha SRS 24» e exortou para «que todas as pequenas e grandes superfícies comerciais cumpram imperativamente as regras determinadas».
O líder madeirense sublinhou ser «previsível que nas próximas semanas se constate um aumento do número de pessoas infetadas», relevando o facto de estar o Serviço Regional de Saúde e as equipas devidamente preparadas para lidar com essa evolução.
«Apelo, mais uma vez, a todos os nossos concidadãos para o seu sentido de responsabilidade e para o cumprimento das regras de distanciamento e de proteção individual, no sentido de continuarmos a controlar a situação», complementou.
Miguel Albuquerque disse ser «esta uma luta de todos, onde o comportamento de cada um de nós é decisivo para o bem-estar coletivo».
Está prevista a chegada das primeiras vacinas à Região – 9750 vacinas – na primeira semana de janeiro. Anunciou hoje o presidente do Governo Regional, com base numa previsão adiantada ao Executivo madeirense pela Comissão Nacional.
Relativamente à Vacina contra o COVID-19, Miguel Albuquerque sublinhou, na videoconferência que realizou há pouco, «a Comissão Coordenadora Regional tem mantido o contacto com a equipa nacional, e neste momento estão já garantidas todas as condições necessárias para o armazenamento, logística e administração das vacinas, no contexto Regional: Madeira e Porto Santo».
Na próxima quarta feira, anunciou ainda, o Plano Regional de vacinação será previamente apresentado.

Fonte: madeira.gov.pt

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email