Covid-19: Governo da Madeira vai vacinar 5.000 elementos da comunidade educativa

PORTO CANAL 10/03/2021

Funchal, Madeira, 10 mar 2021 (Lusa) — O Governo da Madeira vai manter esta semana as medidas de prevenção contra a covid-19 e proceder à vacinação a cerca de 5.000 elementos da comunidade educativa, anunciou hoje o presidente do executivo.

Miguel Albuquerque falava à margem da visita que efetuou às obras de remodelação do centro de saúde Dr. Agostinho Cardoso, no Funchal, para a instalação do Centro de Rastreios da Região Autónoma da Madeira, integrando, entre outros, os exames do cancro da mama.

O chefe do Executivo Regional de coligação PSD/CDS adiantou que, nas próximas semanas, vão ser vacinados “professores, auxiliares, educadores de infância, administrativos”, todos elementos que “estão em contacto com crianças até ao 6.º ano”.

“Serão vacinadas cerca de 5.000 pessoas desse universo prioritariamente porque são os que estão no regime presencial [das escolas] e cujas crianças não usam máscara”, disse.

Na Madeira, estão em regime não presencial os alunos a partir do 3.º ciclo e os do ensino secundário.

Miguel Albuquerque mencionou que vão ser administradas a estas pessoas as vacinas da AstraZeneca, a mesma que também será aplicada às pessoas com mais de 65 anos na região.

O governante insular argumentou que “andam a administrar esta vacina a milhões de britânicos com mais de 65 anos”.

“Aqui vamos fazê-lo”, declarou, vincando que “o grupo prioritário são os mais idosos, porque são os mais vulneráveis”.

Sobre uma possível abertura nas medidas de prevenção em vigor, salientou que ainda haverá “mais dois ciclos de incubação”.

“Neste momento, estamos ainda a avaliar a situação e não vamos tomar decisões precipitada porque a consequência é o que está a acontecer em Itália ou em França, onde houve algumas medidas de desconfinamento” e o resultado foi um aumento dos casos de infeção, enfatizou.

Miguel Albuquerque sustentou que, tendo em conta a situação em Portugal, terão de ser tomadas “decisões cuidadosas”.

“É preciso muito cuidado relativamente à reabertura das atividades”, sobretudo numa altura em que “se fala na quarta e quinta onda”, realçou o presidente do governo madeirense.

O governante insular adiantou que na região “as coisas vão ser feitas com cuidados, analisando a situação à semana”, recusando, por exemplo, a abertura das modalidade desportivas, por serem de contacto.

“É perigoso. É impensável, Vamos manter tudo como está [esta semana]”, assegurou.

O Governo da Madeira prolongou até 15 de março as medidas de confinamento na região, numa resolução publicada no Jornal Oficial da região (JORAM) em 08 de março.

Assim, está em vigor o recolhimento obrigatório às 19:00 durante os dias da semana e às 18:00 aos fins de semana, sendo proibido circular até às 05:00 do dia seguinte.

Os estabelecimentos comerciais fecham às 17:00, mas podem fazer entregas ao domicílio até às 22:00 e os serviços da administração pública estão a funcionar com horário reduzido ou em sistema de espelho, devendo as pessoas optar pelos contactos telefónicos ou online.

O último boletim epidemiológico divulgado na terça-feira pela Direção Regional de Saúde reportava na Madeira 58 novos casos de infeção por SARS-CoV-2, contabilizando 7.671 doentes confirmados de covid-19 desde o início da pandemia.

Neste dia, havia 763 casos ativos, 35 pessoas hospitalizadas e mais um óbito, elevando para 67 as mortes associadas a esta doença na Madeira.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.611.162 mortos no mundo, resultantes de mais de 117,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.617 pessoas dos 811.948 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia a notícia completa aqui.

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email