Covid-19: Madeira avança para vacinação do setor turístico após concluir processo na educação

VISÃO 05/04/2021

A Madeira vai ter todo o pessoal docente e não docente vacinado contra a covid-19 até ao final da semana, e pretende avançar para o setor do turismo, anunciou hoje o secretário da Saúde do arquipélago.

“Com as vacinas administradas hoje no Madeira Tecnopolo, são cerca de 1.200 professores, ultrapassaremos as 50 mil doses administradas na Madeira”, afirmou Pedro Ramos, que, juntamente com o secretário da Educação, Jorge Carvalho, marcou presença na ação de testagem PCR a 2.200 os alunos da Escola Secundária Francisco Franco, no Funchal.

O governante complementou que a vacinação do pessoal docente e não docente “termina em 11 de abril, tendo sido vacinadas 3.600 pessoas na semana anterior à Páscoa e mais 6.000 do ‘staff’ educativo esta semana”.

Assim, “todo o ‘staff’ educativo, auxiliares, técnicos, todas as áreas de apoio, a educação especial, toda a gente vai estar vacinada até final desta semana”, salientou.

Jorge Carvalho argumentou que a testagem dos alunos “fazia todo o sentido”, porque está programada a “retoma das aulas presenciais para o ensino secundário na próxima quinta-feira, e do 3.º ciclo na segunda-feira”, o que vai permitir um regresso “com alguma tranquilidade”.

O governante recordou que na região “os outros graus de ensino sempre estiveram em regime presencial” e “também vão ser testados”.

Por seu turno, o secretário da Saúde e Proteção Civil destacou a importância da nova campanha de testagem a toda a população estudantil da região, argumentando que se registaram vários surtos na área da Educação, com cerca de 500 casos.

“Vamos no quarto período de testagem PCR”, indicou, mencionando que estão a ser testados 40 mil alunos e professores, tendo sido apenas registados 30 casos positivos em março, o que representa “um número muito baixo em relação à população que tinha sido testada”.

Pedro Ramos destacou que a Madeira tem conseguido ter vacinas “sempre disponíveis” e referiu que no primeiro trimestre a região recebeu 49 mil vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, e em abril vai ter cerca de 59 mil.

“Depois, entre maio e junho, vamos receber vacinas da Pfizer, da Astrazeneca e também da Johnson&Johnson, e isso vai dar um número muito superior às 200 mil vacinas na região”, adiantou.

Por isso, as autoridades de saúde da Madeira vão começar a administrar as vacinas a pessoas de “outros serviços críticos”. .

“Após a educação, aquilo que está a ser planeado é a nível do turismo e similares, porque a hotelaria vai permitir continuar a recuperar a nossa economia”, revelou.

O responsável também enfatizou que o número de casos está a diminuir a região, tendo sido registados menos de 20 casos por dois dias consecutivos: “O nosso objetivo é termos menos de 10 casos por dia e nessa altura, sim, teremos mais confiança para começar a alargar todas as medidas”.

O Plano Regional de Vacinação contra a covid-19 estabelece três fases, a começar pelos grupos prioritários, ao que se seguem as pessoas com comorbilidades e, depois, o resto da população.

A estimativa aponta para que sejam vacinadas 50 mil pessoas na primeira fase, outras 50 mil na segunda fase e, por fim, 100 mil pessoas.

O presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, já afirmou publicamente que o objetivo é ter 70% da população da região (de cerca de 260 mil habitantes) vacinada até ao final de setembro.

Desde 16 de março de 2020, o arquipélago regista 8.447 casos confirmados de covid-19, com 8.016 recuperações e 71 óbitos associados à pandemia.

A pandemia provocou pelo menos 2.853.908 mortos no mundo, resultantes de mais de 131,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.879 pessoas dos 823.335 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Leia a notícia completa aqui.

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email