Madeira já vacinou mais de 1.800 adolescentes entre os 12 e os 17 anos

JM MADEIRA 04/08/2021

Mais de 1.800 adolescentes entre os 12 e os 17 anos já foram vacinados contra a covid-19 na Madeira, indicou a autoridade regional de saúde, referindo que na primeira hora do segundo ‘open day’, que decorre hoje, foram inoculados 120.

“Queremos priorizar e queremos acelerar o processo de vacinação nesta faixa etária e vacinar o mais rapidamente possível os adolescentes e jovens”, disse aos jornalistas Ana Gouveia, coordenadora dos Centros de Vacinação do arquipélago.

O segundo ‘open day’ para este escalão etário começou às 09:00 e prolonga-se até às 18:00, no Centro de Vacinação do Funchal, instalado no Madeira Tecnopolo, mas, ao contrário do que aconteceu no sábado, hoje não se formaram longas filas de espera e o processo decorre com fluidez.

“Correu maravilhosamente bem, foi rápido, foi melhor do que eu esperava”, disse à agência Lusa Eva Baptista, de 14 anos, que se deslocou ao centro de vacinação acompanhada pela mãe.

A jovem realçou que não teve receio, vincando que já queria ser vacinada contra a covid-19 há algum tempo e que agora se sente “completamente mais segura”.

“Acho que é um dever de todos serem vacinados e eu gostei de fazer a minha parte”, disse, contando logo com o apoio da mãe, Sónia Xavier, para quem a vacinação é “importante por todos e para todos.”

“Ficamos mais seguros”, disse.

As autoridades regionais estimam inocular cerca de 20 mil jovens e adolescentes para permitir o início do novo ano letivo em segurança, sendo que a vacina utilizada nesta faixa etária é a da Pfizer.

“Estamos muito orgulhosos por os nossos jovens estarem a aderir tão bem a esta vacinação e dos pais que os aconselham”, afirmou Ana Gouveia.

A coordenadora dos Centros de Vacinação disse que, no total, já foram inoculados 1.860 jovens e adolescentes, dos quais 1.200 no primeiro ‘open day’.

As autoridades de saúde marcaram para sexta-feira mais um ‘open day’ para este escalão etário, mas o processo decorre também em qualquer dia da semana nos 11 concelhos da região, com ou sem agendamento prévio, e sempre na presença de um tutor legal.

“Aconselho as pessoas a tomar a vacina, não custa mesmo nada”, disse à Lusa Afonso Matias, 16 anos, acrescentando: “Não vale mesmo a pena estar nervoso. Não se sente nada e sinto-me agora mais seguro.”

Ao lado, o pai, Paulo Bettencourt, reforça que a vacinação contra o SARS-CoV-2 é “um dever”.

“Não hesitei”, disse. E explicou: “A família decidiu que deveria ser assim. Eu também já fui vacinado, acho que é importante. Toda a população deveria ajustar-se à vacinação, se não nunca mais acabamos com este problema”.

Iara Beatriz, de 16 anos, é da mesma opinião: “Temos de optar pela nossa saúde e pela saúde pública”, afirmou, vincando que a toma da vacina é “fácil e nada dolorosa”.

Ao lado, Leonor Mota, de 15 anos, esclarece que “é só uma picadinha”.

“Acho que é bastante importante as pessoas manterem a segurança e assim vamos acabar com o vírus”, salientou, manifestando-se “completamente preparada” para a segunda dose.

Maria João, mãe de Leonor e madrinha de Iara, complementa o discurso das jovens: “Todos nós devemos lutar no mesmo sentido, no mesmo rumo, e é este, o que fizemos hoje”.

E reforçou: “Aqui [na Madeira], ao contrário do continente, há uma transmissão de segurança e há um consenso sobre a vacinação”.

De acordo com os dados mais recentes da Direção Regional de Saúde, a Madeira, com cerca de 250 mil habitantes, já administrou 305.773 vacinas contra a covid-19 desde dezembro de 2020, sendo que 56% da população residente tem já a vacinação completa e 69% vacinação iniciada, num total elegível de 175 mil utentes.

Notícia completa aqui.

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email