Madeira tem autonomia para vacinar jovens, diz Governo Regional

NOTÍCIAS AO MINUTO 27/07/2021

“A Madeira segue as recomendações da Agência Europeia do Medicamento e tem como grande objetivo acelerar a vacinação nesta Região Autónoma para maior proteção da população”, afirmou fonte do gabinete do secretário da Saúde da região.

Também salientou que “a Madeira tem autonomia e as especificidades regionais podem determinar outras orientações” nesta área.

A mesma fonte referiu ainda que a Direção-Geral da Saúde (DGS) “apenas vai dar uma orientação, um parecer” em relação a esta medida e vincou que “a Madeira, tal como os Açores, têm autonomia e podem antecipar” as medidas.

O Governo Regional e as autoridades de saúde do arquipélago têm “o entendimento de que é preciso acelerar a vacinação para proteger a população o mais rapidamente possível”, reforçou.

A mesma fonte mencionou outras medidas que a região adotou e “foi pioneira”, como a “implementação do centro de rastreio no Aeroporto e o uso de máscara”, complementando que “a vacinação de jovens com mais de 12 anos é outro exemplo”.

“Esta medida está enquadrada nas determinações da Agência Europeia do Medicamento”, enfatizou.

O secretário da Saúde e Proteção Civil da Madeira anunciou hoje que a região vai iniciar no próximo sábado o processo de vacinação de jovens a partir dos 12 anos.

“Vamos ter um ‘open day’ no próximo sábado. Queremos vacinar mais rapidamente possível entre os 12 e os 17 anos, usando as vacinas que são recomendadas pela Agência Europeia do Medicamento, que são a Johnson e a Pfizer”, declarou Pedro Ramos no decorrer da visita que efetuou ao Centro de Vacinação do Funchal.

O governante explicou que a vacina da Johnson será administrada “a partir dos 18 anos para os indivíduos do sexo masculino”, enquanto com a Pfizer serão inoculados os “jovens entre os 12 e 17 anos”

“Não será preciso fazer agendamento”, devendo as pessoas deslocar-se ao Centro de Vacinação do Funchal, localizado no Madeira Tecnopolo, salientou o responsável da Saúde madeirense

Pedro Ramos argumentou que, embora a “vacinação seja facultativa, portando não obrigatória”, constitui “um ato de cidadania quando temos problemas de saúde pública e queremos controlar no que diz respeito a esta pandemia que tem afetado a todos”.

“Estamos a vacinar as crianças e todos os escalões etários estão a ser protegidos”, sublinhou o governante do executivo insular.

Os dados oficiais apontam que mais de 51% da população residente na região já tem a vacinação completa e que 62,5% está parcialmente vacinada.

A Direção Regional da Saúde (DRS) informou na segunda-feira que a Madeira registou 15 novos casos de infeção por SARS-CoV-2, 234 situações ativas e sete doentes internado nas unidades polivalentes do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, que tem os cuidados intensivos sem doentes.

Notícia completa aqui.

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email