Pedro Ramos pede “mais vacinas” à ‘task force’ nacional

JM MADEIRA 19/06/2021

Pedro Ramos, secretário regional de Saúde e Proteção Civil, pediu, hoje, “mais vacinas” à ‘task force’ nacional, cujo coordenador, o vice-almirante Henrique de Gouveia e Melo, visita na próxima semana a Região.

“O pedido que a Madeira pode fazer neste momento é que o vice-almirante da ‘task force’ nacional receba mais vacinas para que possa dar mais vacinas. Os 2,5% têm de ser respeitados integralmente pela ‘task force’ nacional e têm permitido que a Madeira, com a sua gestão no que diz respeito à administração na população, atinja já números que são muito bons”, afirmou o governante, recordando que no arquipélago já foram administradas 191 mil doses, das quais cerca de 106 mil correspondem a primeiras doses e as restantes mais 84 mil pessoas já concluíram a sua inoculação.

Pedro Ramos falava à margem de uma visita ao centro de saúde do Curral das Freiras, onde está a decorrer a vacinação de diversas pessoas acamadas e dos seus cuidadores.

Na ocasião, o secretário revelou ainda que no final deste mês é esperado que a Madeira atinja a marca das 100 mil pessoas com as duas doses do fármaco contra a covid-19, o que corresponde a cerca de 40% da população e que permite que a Região, juntamente com o Alentejo, seja uma das que apresenta maior taxa de vacinação completa.

Mais ressaltou que o arquipélago está pronto para receber mais vacinas, muito graças à rede de frio adquirida para assegurar o devido armazenamento destas doses.

“Temos dois frigoríficos que permitem receber 250 mil doses de vacina de uma só vez. Desde que elas existam, a Madeira está preparada, porque, de facto, toda a campanha de vacinação coordenada pela enfermeira Ana Gouveia no terreno tem funcionado sempre de uma forma muito eficaz, mas também eficiente. Vacinamos até às 20 horas, mas podemos vacinar até à meia noite desde que haja mais vacinas”, reiterou.

Relativamente à vacinação das pessoas acamadas, Pedro Ramos explicou que este é um processo “com alguma complexidade”, daí que a Região tenha optado por utilizar as vacinas da Johnson&Johnson para assegurar a inoculação deste grupo e dos seus cuidadores, uma vez que requer apenas uma dose.

No Curral das Freiras serão vacinadas hoje um total de 32 pessoas, 25 acamados e 7 cuidadores. A vacinação deste grupo está também a decorrer em Santana, sendo amanhã a vez do Porto Moniz. Por sua vez, no Porto Santo este processo já está concluído.

Quanto à variante Delta, o secretário assegurou que esta ainda não foi detetada na Região, mas aponta que foram identificadas algumas amostras com um código genético diferente daquele com que o laboratório do Hospital estava habituado a detetar.

“Essas amostras já foram enviadas para o INSA antecipadamente e estamos agora à espera que o doutor Fernando Almeida, o diretor do Instituo de Saúde Nacional Ricardo Jorge, possa-nos dar alguma informação. Consoante essa situação, veremos quais as medidas que teremos de tomar”, explicou, ressalvando que, se necessário, as medidas poderão ser alvo de revisão.

Notícia completa aqui.

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email