Telescola começa a 20 de abril – Sábado há decisões

Aulas da telescola vão começar, na Madeira, a 20 de abril. Para todos os anos de escolaridade. Quanto às medidas de confinamento, são para continuar. No próximo sábado, haverá conselho de governo extraordinário, onde se decidirá acerca de um eventual levantamento de restrições em relação a algumas atividades profissionais.

Na Madeira, o ensino secundário será feito pela telescola já a partir do dia 20 de abril. Uma medida que permitirá abranger o ensino à distância a todos os alunos da Região, ao contrário do que acontece a nível nacional, onde só os alunos do primeiro ao nono ano do ensino básico terão acesso à telescola.

A medida acaba de ser anunciada pelo presidente do Governo Regional, em videoconferência. Miguel Albuquerque lembrou ainda que os alunos do Ensino Básico terão acesso aos mesmos conteúdos nacionais, através da RTP Memória.

Foi ainda garantido que, pelo secretário da Educação, os apoios aos pais de alunos até aos 12 anos vai ser mantido. Quanto às notas, Jorge Carvalho diz que essa será decisão a tomar brevemente, pelos professores e diretores de turma.  «A análise será das escolas, se têm ou não condições para a realização dos testes de avaliação ou se optam por manter as notas do segundo período», disse ainda, lembrando que as novas tecnologias permitem que os testes possam ser feitos à distância.

O tutelar da Educação explicou que os exames de acesso ao ensino superior serão realizados.

Quanto às aulas presenciais, o Chefe do Executivo madeirense diz que só vão acontecer quando estiverem reunidas todas as condições de segurança para alunos, professores e funcionários. «Não haverá nenhuma aula na RAM, enquanto houver uma situação de não erradicação da doença na RAM», anunciou.

O presidente do Governo Regional disse ainda que serrão facultados computadores a quem não os tem e salientou haver garantia de que as operadoras garantem linha de rede a todos.

O governante também garantiu que o apoio ao pagamento das mensalidades do ensino privado vai continuar até final de junho.

O líder madeirense anunciou ainda que se mantêm, para já, as medidas de confinamento, mas admitiu que algumas delas possam ser revistas, de modo a impulsionar a retoma económica e laboral, de forma gradual, numa decisão a anunciar no próximo sábado, após realização de conselho de Governo extraordinário. «Será feito um balanço da situação e decidiremos em função do que se passar», frisou.

Isto porque apesar dos bons resultados, sinal de que as medidas tomadas pelo Governo têm sido as mais adequadas, não é ainda tempo para abrandar as medidas e mitigar o combate. «Até agora, temos a situação controlada, mas não podemos facilitar. Temos de continuar a agir com realismo e com determinação», disse. Para depois acrescentar: Ninguém está mais preocupado com a situação das empresas do que eu. Até porque é a economia da Madeira que está a sofrer mais».

O governante fez questão ainda de agradecer à competência dos nossos profissionais de Saúde e da Proteção Civil e ao civismo da nossa população.

No final desta semana, anunciou também o presidente do Governo Regional, serão distribuídas duas máscaras por domicílio, a ser realizada pelos Correios. Será também divulgado vídeo, na televisão, onde se ensina como fazer máscara. No portal do Governo será publicado vídeo a ensinar como as usar…

Máscaras que servirão, realçou o governante, para as pessoas se habituarem ao futuro e à necessidade de serem usadas em algumas atividades profissionais, como a construção civil e outras atividades com maior contacto interpessoal.

Tudo, disse, será analisado pelas autoridades de saúde da Região.

Miguel Albuquerque explicou que a linha de apoio para as empresas regionais, tem como principal objetivo a valorização do esforço do empresário da manutenção dos postos de trabalho. Os valores, reitera, serão pagos na sua totalidade. E recordou que os empresários poderão converter este crédito a fundo perdido caso assegure a manutenção dos postos de trabalho e respetivas remunerações durante 18 meses seguidos. E disse ainda que a linha de crédito será para todas as empresas, inclusive as que foram criadas no início do ano.

O líder madeirense disse ainda que o Governo Regional vai apoiar em 1,2 milhões de euros os pescadores e armadores, pelas perdas que tiveram com a redução dos dias de trabalho no mar. Esta medida será aprovada na próxima reunião de Governo.

Miguel Albuquerque anunciou ainda que hoje não houve qualquer caso positivo, o que faz com que em cinco dias houve quatro sem casos e um dia com apenas um caso.

O presidente do Governo Regional disse ainda que o apoio do Governo da República à Madeira, nomeadamente a suspensão da Lei das Finanças Regionais e da moratória do pagamento do PAEF, será discutido em breve entre os dois governos. Miguel Albuquerque anunciou ainda que falou com o Presidente da República com o assunto.

Adiantou ainda que o diretor regional das Comunidades tem acompanhado as comunidades madeirenses, recordando o apoio ao regresso de alguns madeirenses e a forma como se continua a dialogar com os que querem regressar, numa altura em que não tem havido muitos voos.

Aliás, o governante assume que esta redução drástica de voos é para continuar….

Fonte: gov.madeira.pt

Partilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email